-->

Bem vinde!

Eu sou Alexsander. designer. booktuber. escritor.

Meu trampo Contrate

Sobre mim

Suspense
Fantasia
Questões de raça
Quem sou eu

Alec Costa

Leitor e produtor de conteúdo

Nascido e criado numa favela no Rio de Janeiro, comecei a ler aos 13 anos e desde então não parei mais.

Há mais de 6 anos eu produzo conteúdo sobre livros pra internet, discutindo livros fantasia e fomentando discussões raciais no meu canal e em minhas redes sociais.

Serviços

Resenhas

O canal já conta com mais de 100 indicações de livros.

Engajamento

Os Inscríveis formam uma comunidade em volta do canal.

Frequência

É liberada uma média de 3 vídeos por semana.

Alcance

Mais de 200.000 visualizações totais no canal no YouTube.

Blog

Dicas para começar a ler em outro idioma


Saluton!

Sempre que eu compartilho alguma leitura que eu fiz em inglês nas minhas redes sociais, chovem comentários de pessoas me pedindo dicas ou pedindo pra eu comentar um pouco mais sobre esse hábito que eu tenho há uns 4 ou 5 anos. 

Hoje a gente conversa sobre isso! :)


JÁ É INSCRITO NO CANAL? 
Se inscreve lá, por que ajuda pra caramba! :)



Ó, uma coisa precisa ficar clara, antes de começarmos esse post: não vou te ensinar a ler e escrever em inglês! Eu não sou professor, não tenho formação alguma e não existe fórmula mágica. Como com quase tudo nessa vida, isso é um hábito/habilidade que se aprende com muito esforço, prática e dedicação, ok? 

Passados os avisos iniciais, simbora!


Eu comecei a ler em inglês não muito tempo depois que eu comecei a ler, de fato. O primeiro livro em inglês que eu comprei foi o Divergent da Veronica Roth. Eu 'tava naquele fogo de consumir todos os livros conhecidos na época e o box ficou num promoção bem baratinha: paguei R$45 nos três livros em capa comum!

A primeira e mais valiosa de todas: cerque-se do idioma que você quer começar a ler. É fundamental que você se rodeie de coisas no idioma que você quer começar a praticar. Comece assistindo a filmes no idioma original com as legendas ativadas e configuradas pro nosso idioma; ouça músicas acompanhando a tradução e depois mude pro idioma original; busque produções, conteúdos, artigos em blogs, posts no Medium no idioma que você quer. É muito importante que você fique imerso!

CALMA! Eu sei que a empolgação de sair comprando livros em outro idioma assim que ficarem baratos é muito grande, mas resista! Antes de sair criando dívidas e comprando livros que você talvez não vá gostar, baixe uma amostra no site da Amazon.

Exemplo do primeiro livro que eu li.


Dessa forma, você pode ter uma noção do nível do inglês do livro antes de gastar qualquer dinheiro. Experimente ler o(s) primeiro(s) capítulos pra saber se você vai dar conta do texto do livro em questão.


Pra fazer com que esse post fosse mais dinâmico, eu abri uma caixinhas de perguntas lá no meu Instagram, pedindo que vocês deixassem dúvidas a respeito de ler em inglês. Dessa forma, o post ficar mais certeiro e posso ajudar mais de vocês! :)


Vamos por partes: primeiro perguntas.

@chavedoslivros_: Começar por Infantojuvenil é bom?
Vai depender mais do seu nível de inglês do que do gênero/faixa etária do livro, acredite. Você já consegue assistir a um episódio da sua favorita com legendas no mesmo idioma que está sendo falado? Se sim, sim!

@math3usssz: Precisa ter um nível muito avançado de inglês para ler em inglês??
Mais uma vez: depende do seu nível. Sabe aquela música em inglês que você VIVE escutando? Você consegue saber a letra dela sem precisar pegar a tradução?

@mariih_costa: começo relendo um livro que já li em português ou já um em inglês de vez?
Reler um livro é uma boa pedida e ajuda demais, vai por mim. O problema é que nem sempre é viável ($$$). Se você encontrar um dos seus livros favoritos no idioma original em promoção, se joga!

@maryibic: Qual tipo de livro é mais indicado???
Eu indicaria um YA/jovem adulto contemporâneo. Nada com muita fantasia se você ainda não se sente muito seguro. Vejo muita gente indicando o Harry Potter e a pedra filosofal pra quem tá começando mas eu, Alec, falo pra você ir numa direção completamente contrária se ainda não tiver lido o livro em português! Imagina o quão confuso não seria você estar lá, engatinhando no seu inglês e do nada se deparar com um hufflepuff lá no meio do texto?! Se você já conhece a história, pode até ser legal! Do contrário, eu acho melhor não. Você pode sempre recorrer à Jason Reynolds, Angie Thomas, Nicola Yoon e outros na mesma pegada!

@coffeewithcellie: Eu tenho medo de pegar um livro pra ler, mas leio de boa trechos e textos em inglês; como perder o medo?
Bom, se joga! kkk! De verdade, não tem outra coisa! Vira e mexe a Amazon libera alguns livros em inglês de graça! Experimenta ler um desses ou siga a minha primeira dica nesse post! Talvez te ajude!

@nasentrelinas: Uma pessoa com inglês básico pra intermediário consegue ler Brandon S [Sanderson]?
Então, o Sanderson é um cara que tem uma escrita bem acessível, apesar de ter seus floreios em certos momentos. Apesar disso, o universo fantástico dele (principalmente em The Stormlight Archive) tem muitos termos próprios e inventados pelo próprio autor, o que pode dificultar sua leitura em certo nível. Nesse caso (vou me repetir kkk:), solicite a amostra na Amazon! É de graça!

@livros.defefa: Não é pergunta, mas com o Kindle voltei a ler bem mais em inglês. Os dicionários dele ajudam muito.
SIM, FEFA! O Kindle (o aparelho, pelo menos! Não sei o app) ajuda demais nessa questão! Se vocês quiserem, eu posso preparar um vídeo lá pro canal mostrando como usar o Kindle ao seu favor na hora de aprender um novo idioma! Mas, de forma bem resumida, basta segurar em em cima da palavra que você tem alguma dúvida e ele te apresenta (em inglês!) o que significa!

@jluiz_3011: sobre o ritmo, é normal ler mais devagar apesar de um nível mais avançado?
Com certeza absoluta! Se você não tem o costume de ler em inglês, mesmo que você já tenha conhecimento da língua, você tá experimentando uma coisa completamente nova e diferente; é normal que o cérebro dê uma travada de vez em quando!

@diego.borges13: Com qual nível você acredita que uma pessoa deve começar e quais as indicações de livros.
Bom, as dicas de como escolher o título ideal eu já deixei ao longo do post inteiro, mas a idade certa é a idade que a pessoa tem. Nunca se é cedo ou tarde demais pra começar a ler em outro idioma! Se não se sente plenamente confortável pra começar um romance (lê-se livro de 250/230 páginas), não se envergonhe de ler edição resumidas e/ou adaptadas pra crianças! O importante é começar!

@taynan_falcao: Vc para pra pesquisar cada palavra que não conhece ou tenta pegar o contexto geral e segue?
É de suma importância que você não NÃO nÃo N Ã O pare a cada palavra que não conhece! Vai por mim: continua lendo. Termina o parágrafo. A página. A partir do momento em que você para de se cobrar tanto pra ler no mesmo ritmo que você lê na sua língua mãe (o que nem faz sentido, já que você literalmente fala desde sempre) e entende que é um momento de aprendizado a leitura se torna divertida. Se você não entender nem pelo contexto e achar que nada está fazendo sentido por conta dessa única palavra, aí, sim, considere procurar no dicionário. Eu, particularmente, recomendo fazer uma marcação mínima no livro (um post-it, sublinhado, marca-texto) na palavra que você não entendeu pra depois ir procurar.

Clique para assistir ao vídeo

Qualquer dúvida que vocês tiverem, pergunta ou sugestão sobre o tema, podem deixar aqui embaixo nos comentários, que eu respondo num vídeo sobre esse tema que eu vou preparar lá no canal! :)

A maldição do carneiro de ouro


Saluton!


Como bom fãzinho de Thiago Lee que sou, eu não poderia deixar de ler e comentar com vocês o lançamento mais recente dele, não é? Hoje estamos aqui pra falar sobre o A maldição do carneiro de ouro!



JÁ É INSCRITO NO CANAL? 
Se inscreve lá, por que ajuda pra caramba! :)



SINOPSE
Preocupada com as brigas dos pais em casa e com a dificuldade em passar de ano, a última coisa de que Bia precisa é ser atormentada por criaturas sobrenaturais. A garota sequer faz ideia de com o que está envolvida quando conhece Caiena, uma aprendiz de catalendas que se compromete a ajudar a amiga a enfrentar uma maldição e seres assustadores.







Compre na Amazon! 

Comprando através desse link, você ajuda o canal financeiramente sem pagar nada a mais por isso!

002: Matar

 


Saluton!


Olhem só, menos de uma semana entre os episódios do Cosme! Can I get an amen up in here? Fiquei pilhado demais vendo a recepção de vocês e me animei pra postar outro logo! :)


Vocês vão perceber que tem algumas coisinhas diferentes nesse episódio! Tô testando um novo jeito de gravar e agora já temos uma vinheta! Não esqueçam de me dizer aqui embaixo, nos comentários, o que vocês acharam! Esse feedback é mega importante, pq me diz onde eu tô acertando e onde tô errando.


EPISÓDIO



FANARTS



Não esqueça de deixar seus comentários sobre o prólogo logo abaixo, pra aparecer no próximo episódio do Cosmentários!

Finalmente comecei a ler The Stormlight Archive!

Alec Costa segurando uma polaroid cuja foto ele está feliz com dois exemplares de The Way of Kings.

Saluton!


Sim, gal, decidi tirar a poeira desse espaço na internet. Tô aqui pra, dessa vez, vir panfletar (mais um pouco) um dos meus autores preferido: Brandeus Sanderson.

Recentemente o Leo (meu melhor amigo) me deu o primeiro volume dessa série que eu estava a fim de ler havia anos e, ÓBVIO, eu já comecei a ler! Disse à mim mesmo que estou só dando uma provadinha antes de começar o mês de Outubro, que é quando eu realmente vou começar a ler a série. 

Estou falhando. 😅

Minha vida tem estado um caos recentemente: perdi meu emprego, comecei um novo emprego full-time, tô sendo convidado pra diversos projetos e produzindo conteúdo pra internet feito louco. Então, pra tentar espairecer e anuviar um pouco a cabeça, o que eu decidi fazer? Exato: mais conteúdo pra internet.

Como comecei a ler o livro e eu quero muito registrar cada uma das minhas reações, pensamentos e surtos com essa história que tem de tudo pra se tornar a minha favorita, lancei (enquanto escrevo esse post) o primeiro episódio do meu podcast Cosmentários, onde pretendo ler a Cosmere e fazer Cosmentários. *ba doom, tss*



O primeiro episódio já está no ar e você já pode ouvir acessando umbookaholic.com/cosmentarios ou pesquisando o nome do podcast no seu agregador favorito! Se ele ainda não tiver por lá, me avisa que eu corro atrás, ok? :)


Agora, ouviu o podcast? Beleza, se liga, então, nessas fanarts (sem spoiler) do prelúdio:





No mais é isso, pessoal! Me contem aqui embaixo o que vocês acham da ideia d'eu fazer posts sobre cada um dos episódios do podcast indicando algumas fanarts pra vocês! 


Até a próxima! :)

Sobre ganhar público na internet e a loucura dos últimos meses


Alec Costa sentado na frente de sua estante, a Karen.

Faz tempo que eu tô pra fazer esse post. Os últimos meses têm sido uma verdadeira loucura, minha vida virou de cabeça pra baixo. Muita gente chegou nesse humilde espacinho na internet e eu meio que preciso desabafar, então já se aprochegue que lá vem coisa.


JÁ É INSCRITO NO CANAL? 
Se inscreve lá, por que ajuda pra caramba! :)



O blog onde você tá lendo esse texto tem mais de cinco anos. Sabe o canal onde eu posto meus vídeos no YouTube? Pois bem, ele existe há quase o mesmo tempo. Durante anos da minha vida, eu me dediquei ao UB [Um Bookaholic], falando sobre os livros que eu (des)gosto, surtando por  coisas que fazem meu coração bater mais rápido, colocando perucas coloridas na cabeça e incorporando personagens esquisitos.

É importante deixar claro que eu sempre amei fazer o que eu faço e sempre fiz por amor. Poucas vezes (duas, pra ser mais exato) eu tive algum retorno financeiro por conta disso tudo. Digo com minha consciência tranquila e meu coração aberto de que foi puramente amor e vontade de conversar sobre literatura que sustentou esse canto na internet por mais de 5 anos. Mas uma coisa é certa: ninguém abre um espaço na internet pra ficar falando sozinho. Apesar de gostar de falar, todo produtor de conteúdo almeja uma grande público e reconhecimento. E tá tudo bem.

Durante esse anos, eu consegui juntar 3000 inscritos no YouTube, 2400 seguidores no Instagram e 5000 seguidores no Twitter (mas essa rede social, especificamente, é minha favorita e tenho desde antes do UB. Uso a mesma conta desde meus 12 anos de idade). Eu ficava extremamente feliz com todas essas pessoas me acompanho, por que, apesar de poucas (se comparado aos outros canais do booktube), sempre que eu postava um vídeo, eu tinha comentários e eu podia, de fato, conversar. Sempre fui e sempre serei grato às pessoas que chegaram aqui antes de maio de 2020.

Abaixo, meu tweet pedindo ajuda pra chegar aos 3.500 inscritos em maio desse ano:



Acontece que nesse mesmo mês eu denunciei um caso de racismo e fiz uma foto que "viralizou" no bookstagram (que é um jeito fofo de chamar a comunidade que fala sobre livros no Instagram). Em um dia, meu número de seguidores por lá dobrou. Atualmente, meu perfil junta mais de 10.100 na plataforma. No YouTube, fui de 3.500 pra mais de 8.000. No Twitter, fui dos 5.000 pros quase 9.000.

Ok, Alec, o que você quer dizer com tudo isso? 

Em essência, meu conteúdo é exatamente o mesmo desde que eu comecei. Eu fico muito incomodado e me sentindo muito mal sempre que paro pra pensar que meu trabalho por aqui pode ter sido reconhecido apenas por ter denunciado um caso criminoso. Por anos eu faço a mesma coisa, mas eu precisei literalmente gritar e chorar, passar noites sem dormir, pra ser finalmente reconhecido. A gente que é preto precisa estar rasgando a própria prega vocal falando sobre como a gente não aguenta mais se ver morto nas ruas pra ser visto.

Isso tudo aconteceu, obviamente, na internet durante a quarentena e não afetava tanto a minha vida fora dela. Até que em junho eu recebi meu email de demissão da livraria onde eu trabalhava, informando que a gente precisaria ir até lá iniciar o processo de fechamento da loja.

Caso você se interesse, tá saindo uma série de vlogs lá no canal mostrando tudo pra vocês. 😀

Me deparei com um mar de inseguranças, medos e incertezas à minha frente. 

Mas, como se tudo acontecesse por um motivo, diversas oportunidades me foram oferecidas e agarrei todas. O Victor Almeida, do Geek Freak, me convidou pra ajudar na Booktubatona; a Pam Gonçalves  e a Maria, do motivatudy, me convidaram pra uma live; Diana Passy, editora da Editora Seguinte e criadora da Flipop me convidou pra mediar uma mesa; todas essas coisas fizeram com que minha voz se projetasse mais e ajudou a elevar a palavra dos meus. Gratidão. 


Honestamente, eu não sei onde eu quero chegar com esse post. Sentia que precisava compartilhar um pouco dessa doideira que tá sendo a minha vida e gostaria de agradecer por todo o apoio que vocês têm me dado. Isso tudo é muito importante pra mim e algo me diz que é só o começo.

Não é  sobre mim. No fim das coisas, é bem maior. Cada conquista do UB é nossa.

Ubuntu. ✊🏿

Guia de palavras do 'Reino dos Antigos'


Saluton!

Recentemente eu voltei a ler a Saga do Assassino, da Robin Hobb, que foi originalmente publicada aqui no Brasil pela Editora LeYa (vou, inclusive, fingir que essa é a única edição que existe rsrs). Como esse universo da autora, que se chama Reino dos Antigos, é imenso e conta com 16 volumes no total, e só 1/4 foi traduzido, eu vou ter que seguir a leitura no original.

Sabendo disso, eu já comecei a ler um capítulo no original e um na minha edição traduzida e, caras... tive bastante dificuldade! Daí a existência desse post: facilitar a vida de vocês. 😅


JÁ É INSCRITO NO CANAL? 
Se inscreve lá, por que ajuda pra caramba! :)



NÃO CONHECE O REINO DOS ANTIGOS?
Eu já preparei um vídeo bem completinho apresentando o primeiro volume da primeira trilogia que se passa nesse universo. Confira clicando aqui!

  Esse post não contém spoiler! Pode ficar tranquilo! 😊
A tradução desses livros é, ao menos na minha opinião, impecável. Essa edição só perde pontos comigo por uns erros bem feinhos de revisão.

Os nomes nesse universo da Hobb são a parte mais importante de tudo, é o que dá sentido e dita um estilo próprio pras histórias dela. Na nova edição (que saiu pela Suma de Letras e tá um horror), eles não mantiveram esse detalhe (que eu considero fundamental), então decidi montar uma espécie de glossário pra não tornar a sua transição pt-en tão traumática.

Bearns: Vigas
Besham: Beche
Bing town: Vilamonte
Buck: Cervo
Buckkeep: Torre do Cervo
Burl: Emaranhado
Burrich: Bronco
Catalyst: Catalizador
Claw Is: Ilha da Garra
Chade Fallstar: Breu Tombastrela
Chalced States: Estados de Calcede
Chivalry: Cavalaria
Farrow: Vara
Farseer: Visionário
Fedwren: Penacarriço
Fool: Bobo
Forge: Forja
Galen: Galeno
Highdowns: Fundos-Altos
Justin: Justino
Kettle: Panela
King-in-Waiting: Príncipe Herdeiro
Lacey: Renda
Molly: Moli
Moonseye: Olho de Lua
Nettle: Urtiga
Nick: Nico
Nighteyes: Olhos-de-Noite
Paragon: Estalão
Patience: Paciência
Rain Wilds: Ermos Chuvosos
Regal: Majestoso
Rippon: Rasgão
Rosemary: Rosamaria
Sandsedge: Orla d'Areia
Scrim Island: Ila do Linho
Shoaks: Razos
Shrwed: Sagaz
Six Duchies: Seis Ducados
Skill: Talento
South Cove: Baía do Sul
Starling: Esporana
Tilth: Lavra
Tradeford: Vaudefeira
Wide Vale: Vale Largo
Will: Vontade
Wit: Manha

Conforme eu for sentindo falta de algum termo, eu vou adicionando por aqui. :)



Compre na Amazon! 

Comprando através desse link, você ajuda o canal financeiramente sem pagar nada a mais por isso!


E aí? Já leu ou ficou com vontade?
Comente sua opinião! \o/

Contato

Telegram :

@umbookaholic

Email :

divulgue@umbookaholic.com