O Despertar do Príncipe, da Colleen Houck.


Olá, Nehabets (já começo o post com piadinha interna com quem já leu)! <3

Hoje eu venho compartilhar como foi a minha experiência de leitura de O Despertar do Príncipe, que é o primeiro livro da trilogia Deuses do Egito, escrita pela Colleen Houck e publicada aqui no Brasil pela Editora Arqueiro.

// Se você que está lendo esse post e já é fã da autora: (1) seja bem vindo ao clube! <3 E (2) eu já fiz resenha dos livros da outra saga dela, aquela que começa com o A Maldição do Tigre. Então, se quiser dar uma olhada, mesmo que ainda não tenha lido, clique aqui. :)

Preciso deixar claro uma coisa, antes de começar a resenha: vou tentar não fazer comparações com a outra série da autora, mas é inevitável, então, uma vez ou outra, vou fazer algumas. :)


SINOPSE

Aos 17 anos, Liliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade.
Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem.
Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos.
A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, em busca dos outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do maligno deus Seth.
Em O Despertar do Príncipe, Colleen Houck apresenta uma narrativa inteligente, cheia de humor e ironia. Este é o primeiro volume da aguardada série Deuses do Egito, uma aventura fascinante que vai nos transportar para cenários extraordinários e nos apresentar a criaturas fantásticas da rica mitologia egípcia.


Essa resenha não contém spoilers. Pode ler tranquilamente. :)]

É até difícil começar essa resenha, já que essa virou a minha nova trilogia favorita. O Despertar do Príncipe é uma aventura épica, com personagens reais e uma trama de tirar o fôlego. Mais uma vez Colleen Houck pega uma mitologia não tão conhecida/discutida e transforma numa saga maravilhosa.

Ao me virar pra ir embora, olhei pra baixo e de repente percebi duas coisas: primeiro, que o sarcófago cheio de palha não continha nenhuma múmia; segundo, que a serragem exibia outro conjunto de pegadas além das minhas, pegadas deixadas por pés descalços e que se afastavam do sarcófago.

Ele queria que eu aceitasse aqueles conceitos antigos de dever e obrigação e desistisse, mas eu era uma garota moderna, e não iria ficar sentada feito uma princesa que precisava ser resgatada, sofrendo por algo que eu queria.

Um dos maiores diferenciais do livro é a personagem principal. Na Saga do Tigre, a personagem principal é muito insegura: questiona muito e age pouco. Aqui, em O Despertar do Príncipe, temos uma personagem feminina forte, decidida e que vai atrás daquilo que quer. Como o livro é narrado em primeira pessoa, a gente fica bem em contato com a personagem, conhecendo seus medos e receios, o que é muito bom, já que possibilita um entendimento maior do funcionamento da mente da personagem principal. Outro ponto legal da Lily, é que ela não quer seguir o "roteiro" que os pais delas fizeram pra sua vida! Ela vai, o tempo todo, fazer aquilo o que ela quer. Mas, claro, ela vai travar várias batalhas com seu eu antigo (uma das partes mais interessantes da narrativa).

Você é mais corajosa do que pensa, É sério, você tem mesmo um coração de esfinge.

A mitologia egípcia nunca foi tão impressionante. A maneira como a Colleen apresenta os mitos egípcios e explora cada um deles é incrível! Além de se divertir, você vai aprender um monte sobre a cultura do Egito. Depois da leitura desse livro, soube que a mitologia egípcia é a minha favorita (entre grega, romana, nórdica e etc). Colleen Houck tem o dom de despertar em mim, sonhos e desejos que nem eu mesmo sabia que tinha. Obrigado, Colleen, por tudo isso. <3 

Eu tenho jogado um jogo chamado Smite - Battleground of the Gods, e, lá, meu personagem principal é o Anúbis (o deus egípcio da mumificação e dos mortos), que, por sinal, é o meu deus egípcio favorito. Ver esse personagem que eu já tinha um certo apego, aqui no livro, foi muito divertido! Anúbis, Rá, Hórus e vários outros aparecem! Urrava de felicidade toda vez que um deus aparecia. kkkkk

Eu, enquanto lia, fiquei muito imerso na história. Senti medo de vermes gigantes, shabtis e todas as outras coisas e perigos sensacionais da mitologia egípcia. Rolou até foto temática no Instagram (segue lá: @umbookaholic), confira:


Bora falar do romance da história? Eu odeio romance e vocês sabem, mas, como esse livro foi escrito pela Colleen (logo, ele é muito bem dosado), eu amei! É legal ver como o amor dos dois começa, a primeira vez que eles se veem e tal. O fato d'a Lily não precisar dele pra viver, não pensar nele 25h por dia é muito bom, por que o livro não fica meloso. *-*

Apesar disso, ao estudar aquele rosto bonito, admiti que parte de mim, uma parte que eu não queria ter que reivindicar nem reconhecer, ansiava pelo calor proporcionado pelo seu toque. Que, mesmo que eu não estivesse à vontade com as emoções que ele despertava, jamais me sentira tão viva.

Como esse livro foi escrito pela Colleen Houck, é claro que ele é cheio de frases que me marcaram. Elas vão muito além de simples frases de efeito, são frases que eu levo pra vida. Me fazem refletir e aproveitar mais a vida. <3

Quando somos privados de tudo aquilo que amamos, finalmente conseguimos ver a verdade.

[...] mesmo nas mais árduas das circunstâncias, era melhor viver, explorar e enfrentar possíveis perigos do que passar o resto da vida acovardada dentro de uma linda caixa.

A eternidade é um tempo longo demais pra não se ter alguma coisa pra lembrar. 

// FOTOS


Início de cada capítulo, com diagramação em detalhe.

Contracapa em detalhe.

// VÍDEO



// CONSIDERAÇÕES FINAIS
Um romance bem escrito, uma história de fantasia com muitas subtramas interessantes e uma jornada de tirar o fôlego. O tempo todo conhecemos deuses e sua história, o que faz com que o livro seja bem mais do que "juntar os irmãos e salvar o mundo".

NOTA: 5/5

E aí? Já leu ou está afim de ler? Comenta aí!
Abraços e boas leituras! \o/

2 comentários:

  1. Bom dia Alex,


    Ganhei o segundo livro dessa série e vou ser obrigado a solicitar esse para iniciar a leitura e confirmar as resenhas que como a sua são super positivas, espero gostar tanto quanto você..parabéns pela resenha e pelo blog.....abraço.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah, espero que você goste! é maravilhoso! \o/

      Excluir

Deixa a sua opinião, ela é mega importante pra mim! E, ah, se você tiver um blog, deixa o link aí! Vou adorar retribuir a visita! <3

Obrigado! :D

Tecnologia do Blogger.