Meio Rei, do Joe Abercrombie.


Oi, pessoal! Como é que vocês estão, hein? Hoje eu venho indicar e comentar um livro de fantasia épica maravilhoso! Meio Rei é o primeiro volume da trilogia Mar Despedaçado, que foi escrita pelo Joe Abercrombie e que está sendo publicada aqui no Brasil pela linda da Editora Arqueiro.

Esse livro é um lançamento do mês de Junho da Arqueiro. Assim que o vi na news mensal da Editora, fiquei louco! Já sabia que ia pedir, por que, né, gente? Fantasia épica é o meu gênero favorito (fica aí a dica, se quiserem me presentear... /aqls). :)

Sem mais embromation, boralá?

Sinopse: Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem.

Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava.

Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo.


Essa resenha não contém spoilers. Pode ler tranquilamente. ;)

Vamos começar falando da melhor coisa desse livro: o personagem principal. Yarvi vai te fazer chorar e rir. Vai te mostrar que ainda há esperanças pra todos nós. Ele é, sem dúvida, um dos personagens mais bem construídos e carismáticos que já li em toda a minha vida. Eu senti dor com/pelo Yarvi, senti suas tristezas e alegrias, vibrei de emoção quando seus objetivos foram alcançados. Por toda a sua vida ele foi humilhado, tratado como lixo, mas, mesmo assim, ele não esmoreceu. Ver a maneira como ele lida com isso tudo, sempre acreditando que as coisas vão melhorar, é sensacional.

Jurei vingar a morte do meu pai. Posso até ser meio homem, mas sou capaz de fazer um juramento por inteiro.

Uma das coisas mais bacanas desse personagem, é a maneira como ele acredita no bem de tudo e ainda assim não é um personagem burro. Yarvi transforma os ensinamentos de Mãe Gundrig (uma espécie de tutora) em arma, é isso é fantástico. O que falta em força física, ele tem de inteligência e coragem.

Nessa história tem uma personagem que se chama Mãe Gundrig - a mesma que foi citada anteriormente - e a única coisa que eu posso (e preciso) falar pra vocês é: ela é uma máquina de quote.

Lembre-se sempre: os homens fortes são muitos; os sábios são poucos.

Viu? Agora, próxima pauta. kkk

Pra estar visitando esse meu espacinho da internet você precisa saber que sou total e completamente apaixonado por fantasia épica. Quando comecei a ler Meio Rei, eu estava esperando que fosse mais do mesmo: um mundo dividido entre humanos e elfos, onde os orcs e trolls se juntam ao grande vilão da história. Por estar esperando isso, me surpreendi muito! Meio Rei foge dos padrões, trazendo um mundo novo e uma trama intrigante. Os elementos fantásticos que permeiam a história são bem simples - quase não existem -, o que faz com que esse livro seja ótimo pra quem quer começar a ler mais do gênero.

Nós nos conectamos imediatamente com algumas pessoas, mas é com as que demoramos mais a nos conectar que a ligação dura mais.
Quando se está no inferno, só um demônio pode apontar a saída.

Eu separei a história em dois núcleos: um pro reino, que é a maneira pelo qual a gente descobre o que tá acontecendo com a família do Yarvi; o outro é o núcleo dos escravos, que é o que a gente vai acompanhar por 75% do livro. Os personagens de ambos os núcleos são bem interessantes. Mesmo os que, no início, não fazem parte do grande plot principal da história, desde o começo eu queria saber o que os levou até lá.

Pelo jeito, a empatia, de bem usada, podia ser uma arma letal.

Durante a narrativa vários personagens são apresentados. Os que mais fiquei curioso pra conhecer foram, sem sombras de dúvidas: Nada (esse é o nome do personagem. kkk), Shadikshirram, Sumael, Ankran (<3), Jaud e Rulf. Esse livro é composto por personagens que são muito mais que tridimensionais, são reais.

Outra coisa que eu gosto muito em Meio Rei foi a maneira que o Abercrombie usa pra construir a trama/o universo. Durante todo o livro ele foi levantando algumas questões, pra aguçar nossa curiosidade. Pra minha felicidade, 80% das minhas perguntas foram respondidas. "Mas e os outros 20%, Alex?", você pode estar se perguntando. Meio Rei é o primeiro livro de uma trilogia, então ele tem mais dois livros pra poder desenvolver tudo melhor ainda. *-*


CONFIRA DETALHES DA EDIÇÃO

A capa do livro tem um detalhe que faz com que o título fique "espelhado".

Contracapa.

Lombada do livro em detalhe.

Pra me expressar melhor, postei uma resenha em vídeo no canal!
Assista! :)



PARA PARTICIPAR DO SORTEIO
Você precisa assistir o vídeo de comemoração pelo #OPrimeiroAnodoUB. Para assistir, clique aqui.

NOTA: 5/5

E aí? Ficou curioso pra ler? Deixa aí nos comentários! :)

3 comentários:

  1. Eu tb gostei mto do livro, fantástico. Um personagem fraco no início, mas que se transformou ao longo da estória, mto bom mesmo.
    Bjs
    www.caprichosbyneli.com

    ResponderExcluir
  2. Já falei em sua resenha de Meio Mundo como está sendo minha experiência com essa trilogia, mas parabéns você se expressa muito bem! Continue assim.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir

Deixa a sua opinião, ela é mega importante pra mim! E, ah, se você tiver um blog, deixa o link aí! Vou adorar retribuir a visita! <3

Obrigado! :D

Tecnologia do Blogger.