Mago: Aprendiz, do Raymond E. Feist.


Oi, pessoal! Como é que vocês estão? Hoje eu venho trazer mais uma indicação pra vocês! O livro da vez é Mago: Aprendiz, que foi escrito pelo Raymond E. Feist e publicado aqui no Brasil, inicialmente, pela Saída de Emergência Brasil e depois pela Editora Arqueiro. Antes que se desesperem: a Arqueiro já republicou todos os volumes da saga e manteve os padrões de publicação (ou seja, mesma capa, mesma diagramação. A única alteração foi o acréscimo da logo da editora. :D).

Antes de começar com tudo, preciso deixar claro que esse foi um livro que despertou muitas emoções. Em certos pontos eu amava o livro e em outros, eu odiava com todas as minhas forças.

Ficou meio confuso, né? Mas, relaxa! Continua por aqui que vou te explicar tudinho, :)

Sinopse: Na fronteira do Reino das Ilhas existe uma vila tranquila chamada Crydee. É lá que vive Pug, um órfão franzino que sonha ser um guerreiro Destemido a serviço do rei. Mas a vida dá voltas e Pug acaba se tornando aprendiz do misterioso mago Kulgan. Nesse dia, o destino de dois mundos se altera para sempre.

Com sua coragem, Pug conquista um lugar na corte e no coração de uma princesa, mas subitamente a paz do reino é desfeita por misteriosos inimigos que devastam cidade após cidade. Ele, então, é arrastado para o conflito e, sem saber, inicia uma odisseia pelo desconhecido: terá de dominar os poderes inimagináveis de uma nova e estranha forma de magia ou morrer.

Dividida em quatro livros, A Saga do Mago é uma aventura sem igual, uma viagem por reinos distantes e ilhas misteriosas, onde conhecemos culturas exóticas, aprendemos a amar e descobrimos o verdadeiro valor da amizade. E, no fim, tudo será decidido na derradeira batalha entre as forças da Ordem e do Caos.


Essa resenha não contém spoilers. Pode ler tranquilamente. ;)

O começo do livro nos apresenta um personagem simples chamado Pug. Gostei muito de poder conhecer e viver ao lado do Pug. A maneira com que ele é apresentado/descrito fez com que eu me apegasse e me identificasse com ele. Pug é um personagem forte e destemido, cuja trajetória o faz ficar cada vez mais incrível.

Por ter gostado bastante do personagem principal, criei muita expectativa com os outros personagens... infelizmente não me surpreendeu muito. Muitos dos personagens são superficiais, planos; são personagens sem profundidade, que a cada capítulo têm uma personalidade diferente. Acho que o Raymond poderia ter investido um pouco mais na construção dos personagens, pra que a história passasse mais verossimilhança.

O mundo do Feist é legal, mas me irritou um pouco por ser "tolkieniano" demais. As semelhanças entre o universo do Feist e o do Tolkien são gritantes. Obviamente o autor se inspirou no pai da fantasia pra criar seu mundo, mas parece que ele apenas pegou o Universo do Tolkien e pôs na sua história. Ele seguiu aquele mesmo padrão de um mundo onde humanos convivem com elfos lindos e anões bêbados e brutos, e, juntos, têm que lidar com os trolls e orcs que vivem invadindo suas terras. Confesso que me decepcionei quanto ao mundo, já que esperava muito mais. Eu costumo ser bastante crítico com a construção de mundos de fantasia, e um ótimo medidor disso é o tempo que cada personagem leva pra transitar de um lugar para outro. Pra não me alongar aqui, deixo a seguinte constatação: um grupo de personagens viajou pro outro lado do mapa e mais de 5 anos se passaram de um parágrafo pro outro. Aí vai de você, se isso é bom ou ruim.

// Já usei Mago Aprendiz como exemplo num booktalk sobre avaliação de livros. Se você não assistiu o vídeo, clique aqui para conferir. :)

Esse livro é uma montanha russa. Havia partes que eu adorava e outras que eu odiava. O que eu gostava eu gostava muito e vice-versa. A história toda muda de um parágrafo pro outro e isso me incomodou muito, já que acho que tudo tem que ser tratado e abordado com calma.

// Curiosidade: Quando Feist foi publicar Mago pela primeira vez, a série era uma trilogia. O editor dele achou que o primeiro volume estava muito grande, então pediu que ele reduzisse em cinquenta mil palavras. O livro foi um sucesso e, dez anos depois, decidiram fazer uma edição comemorativa com umas coisas extras., então pediram que ele adicionasse coisas à história. Ele adicionou tanta coisa que o livro ficou imenso e teve que ser dividido em dois, criando, então, Mago: Aprendiz e Mago: Mestre. Sinceramente? Concordo com o primeiro editor; o livro ficou excessivamente grande e desnecessariamente descritivo.

A mitologia e o mundo próprio que cercam os Tsurani - que são a coisa mais parecida com um vilão - é realmente bem legal. Gostei do fato d'o Feist ter se preocupado em criar um novo mundo e toda uma mitologia pra esses seres. A parte mais interessante desses livros é poder saber de onde eles vieram e ir em busca do por que d'eles fazerem o que fazem.

Quanto mais eu lia, estranhamente, mais vontade de ler o segundo eu tinha. Eu acreditava que o livro ia ficar melhor e que não estava perdido, e eu meio que acertei. Do meio pro final do livro eu fui me acostumando com as coisas que me incomodavam (reparem que não disse que deixaram de me incomodar). Li o segundo e, em um outro post, digo o que melhorou. :)

// FOTOS



E aí? Já leu ou está com vontade de ler? Deixa a sua opinião nos comentários. :)
Abraços e boas leituras! 

13 comentários:

  1. Nossa que bom saber que o livro vai melhorando conforme a leitura vai avançando.
    Vou add ele à minha lista de leituras, amei as suas fotos. Adoro as fotos autorais em resenhas rs.
    Beijos,
    http://www.fabulonica.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu quero compra a saga completa a um tempo que venho querendo ler essa saga <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. leia pelo segundo volume, que é beeem melhor que o primeiro. :)

      Excluir
  3. Oi, moço!!
    Já vi esse livro por aí, mas nunca tinha parado para ler nada sobre ele.
    Muito bacana sua resenha!

    Primeira vez aqui, adorei o blog ;)
    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Então, eu até me interesso pela história, mas preciso me atualizar em algumas séries antes de pegar outra. Vou emendar tudo e embolar todas.
    Ed.Arqueiro arrasando ao salvar os livros da Saída de Emergência!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha, você escreve muito bem mas fica com fogo no cu falando que a resenha não tá boa. Eu nem sabia o que era verossimilhança.
    Não me interessei pelo livro pq sou diferentão e não AMO exatamente fantasia medieval.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Alex!
    Há tempos quero essa saga, mas ainda não tive oportunidade de lê-la. Fico muito feliz em saber que vale a pena e que mexe com nossas emoções! Quero! Ótima resenha! Já estou seguindo o blog e irei visitá-lo mais <3
    Beijos, Garota Vermelha
    www.livrosdagarotavermelha.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. leia mesmo, Nath! o segundo é melhor! <3

      Excluir
  7. Olá, Alex.
    Eu amo livro do gênero e tenho os quatro livros desa série aqui na estante mas ainda não li nenhum deles. Agora lendo sua resenha me deu vontade de ler. Mas não sei quanto a esses pontos que você levantou. Não gosto quando passa muito tempo na história e também quando é descritivo em excesso. Os livros do gênero geralmente são assim, mas quando é muito fica lenta a leitura. Parabéns pela resenha que está ótima.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir

Deixa a sua opinião, ela é mega importante pra mim! E, ah, se você tiver um blog, deixa o link aí! Vou adorar retribuir a visita! <3

Obrigado! :D

Tecnologia do Blogger.