Com amor, Simon [Becky Albertalli]


Saluton!

Eu sei, eu sei; tô sumido! Mas tudo muda a partir de hoje, já que conversas recentes com o Marco, do Lugar Nenhum, reascenderam minha paixão por isso aqui. 😍

Eu não tenho lido muito, mas, com o lançamento do filme que adapta o livro Simon vs. a agenda homo sapiens, o Com amor, Simon, eu me vi com muita vontade de lê-lo. Quem me acompanha sabe bem que não tenho costume de ler yas contemporâneos, mas vira e mexe eu dou uma escapadinha. Acontece que li o livro e estou aqui hoje pra contar sobre essa experiência pra vocês!

Boralá? :)


JÁ É INSCRITO NO CANAL? 
Se inscreve lá, por que ajuda pra caramba! :)



SINOPSE
Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.
Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.
Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.
Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos.


Essa resenha não tem spoiler, fiquem tranquilos. :)

Não é de hoje que vejo gente enaltecendo esse livro. É Vinícius, é Milas, é Sgrig: o mundo parece adorar Simon vs. a agenda homo sapiens. Em 2016 e agora, em 2018, esse é daquele tipo de livro que todo mundo comenta, que gera discussões em grupos na internet; se você não lê, acaba se sentindo de fora dos papos e desatualizado totalmente. Comumente esses livros costumam ser "arroz com feijão" e muito mais do mesmo, mas, felizmente, Com amor, Simon veio pra quebrar paradigmas. O verdadeiro livrão da p*rra.

É comum em livros LGBT a gente ter um enxoval de homofobia. Homossexuais sofrendo todo tipo de preconceito e no final passando por cima de tudo isso. Óbvio que é um tipo de história muito válido, afinal de contas retrata a realidade. Isso se torna um problema quando faz parecer que ser homossexual (substitua aqui por mulher ou negro e o efeito será o mesmo) está ligado única e exclusivamente a sofrer. Como se o único sentimento válido fosse a dor. Como se os mesmos tivessem nascidos fardados à serem segregados. Com amor, Simon quebra esses tabus e mostra que todos têm o direito de trilhar a própria história e ser feliz a seu modo. Todo merecem ser aplaudidos de pé uma vez na vida.


Como um comentário extra, você não acha que todo mundo devia ter que sair do armário? Por que o comum é ser hétero? Todo mundo devia ter que declarar o que é; devia ser uma coisa bem constrangedora, não importa se você é hetero, gay, bi ou sei lá o quê. Só uma ideia.

Com personagens extremamente reais e carismáticos, Becky Albertalli tece uma história divertida e envolvente, onde você se apaixona ainda mais pelos personagens a cada página. Simon tem 16 anos e é o perfeito adolescente do século XXI. Eu me identifiquei muito com ele, tanto por sua visão de mundo quanto por sua personalidade. É divertido acompanhar a história dele, você torce pra que tudo dê certo. Há certos momentos de "ócio" na história que não foram negativos, de forma alguma! Você se apaixona pelo personagem a ponto de gostar de ler 300 páginas sobre ele caminhando num jardim. Apesar de eu estar elogiando o personagem principal, a história não gira somente em torno dele. Temos alguns personagens secundários muito interessantes, como a Abby, o Martin e a Leah.

Então, venho pensando nessa história de identidade secreta. Você já se sentiu preso dentro de si mesmo? Não sei se isso faz algum sentido. É que às vezes parece que todo mundo sabe quem eu sou, menos eu.

Não adianta ter bons personagens se você não sabe usá-los, correto? Felizmente, Becky Rainha Albertalli fez um ótimo trabalho aqui. O relacionamento entre cada um deles é uma coisa única e extremamente envolvente. Esses personagens se amam muito e são muito próximos, a ponto se você se sentir um intruso por estar lendo certas coisas. Quanto aos diálogos: típicos de adolescentes. Aqui a gente vai ter de conversas triviais até conversas sobre sexo e "sair do armário", o que torna fácil de imaginar esses personagens como pessoas reais, que você encontra no seu dia a dia.


Uma das coisas mais bacanas dessa história é acompanhar o mistério e tentar desvendar quem é Blue, o garoto responsável por roubar o coração do nosso querido Simon Spier. Confesso que descobri na segundo cena em que esse personagem foi citado, mas só pq eu já estava querendo muito que eles fossem um casal. 😅

Minha parte favorita da história foi o final, mas não vou fazer comentários, por que não quero estragar a experiência de ninguém. Você só precisa saber que Simon vs. a agenda homo sapiens é aquele tipo de livro que te deixa com um sorriso bobo no rosto e um quentinho no coração; ele te faz acreditar que tudo é possível.


Com amor, Simon é o tipo de livro que precisa ser lido por todos, do mais novo ao mais velho. Aqui temos uma história feliz sobre um rapaz feliz. Ele te faz acreditar no amor e que todos merecem (e precisam) ser feliz.

E aí? Já leu ou ficou com vontade?
Comente sua opinião! \o/

Um comentário:

  1. Ainda não li o livro, mas quero!
    Assisti o filme e me apaixonei ♥

    Beijos da Joi
    estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir

Deixa a sua opinião, ela é mega importante pra mim! E, ah, se você tiver um blog, deixa o link aí! Vou adorar retribuir a visita! <3

Obrigado! :D

Tecnologia do Blogger.