Que falta você me faz, do Harlan Coben.


OLÁ, MEUS LINDOS! 
como é que vocês estão, hein?

hoje eu tô aqui pra resenhar mais um livro de um dos meus autores favoritos, o Harlan Coben. vocês já devem estar de saco cheio de me ouvir falar/escrever sobre esse cara, mas, como diria Rose Quartz: what can I do?

brincadeiras a parte, hoje eu tô aqui pra falar o que eu achei de Que falta você me faz, que é uma publicação de 2015 da Editora Arqueiro.

// já resenhei vários livros do autor lá no canal, sabia? em breve o Que falta você me faz vai apararece lá, também! confere aí a playlist! \o/



SINOPSE
Resgatar um amor do passado nem sempre é a melhor das ideias.
Dezoito anos se passaram desde que a detetive Kat Donovan sofreu as maiores perdas de sua vida: a morte do pai e o fim do relacionamento com o noivo. Foram dois acontecimentos muito bruscos que ela ainda não conseguiu superar totalmente, mas, no dia a dia, prefere não pensar muito nisso.
Contudo, de uma só vez, essas duas feridas voltam a se abrir. Ao saber que o assassino de seu pai será executado, Kat resolve ter uma conversa com ele para esclarecer o caso. Mas o homem nega a autoria, dizendo que foi obrigado a confessar o crime, e ela acaba ficando com mais dúvidas.
Ao mesmo tempo, a detetive é procurada por um garoto que acredita que a mãe está desaparecida. Sem entender por que o adolescente insiste que ela, e não um outro policial, investigue o caso, Kat descobre que o sumiço está relacionado a seu ex-noivo e a um site de relacionamentos.
Lidando com dois casos simultâneos, ela decide seguir em frente com as investigações, mesmo que todos ao seu redor tentem dissuadi-la disso. Determinada, Kat trabalha segundo suas emoções, e a intuição lhe diz que ela não deve desistir.


Essa resenha não contém spoilers. Pode ler tranquilamente. :)

mais uma vez eu me pego apaixonado pelo Coben e por sua escrita. fica até complicado escrever essa resenha, já que ele sempre me surpreende. Que falta você me faz foi uma doce e agradável surpresa. com personagens cativantes e uma trama de tirar o fôlego, Coben vai fazer você temer o futuro dos personagens e torcer por eles (até por quem não deve, atrevo a dizer. hehe).
preciso dizer que a primeira coisa que chamou minha atenção nesse livro é que ele tem uma protagonista feminina. eu ainda não havia lido um livro dele cujo protagonista fosse uma mulher, por isso tive um pouco de receio, antes de começar. o que foi tudo invenção da minha cabeça, confesso. achei que por ser homem, Coben teria dificuldade pra escrever a mente de uma personagem feminina, mas ele faz isso com maestria, como sempre. empoderamento feminino, a gente vê por aqui. [plim-plim]

"Você não vai poder escrever o próximo capítulo da sua vida se insistir em ficar relendo o último."

a trama, como em todos os outros livros do Coben, é muito bem amarradinha. ao longo do livro ele vai criando algumas subtramas que se interligam de maneira incrível, no final.
conforme a narrativa avança, vamos ser apresentando a um núcleo diferente de personagens. pra não dar spoilers, vamos chamá-lo de NDCM [núcleo dos caras maus]. no começo nada faz muito sentido, a gente fica totalmente perdido. acredito que essa tenha sido a intenção do autor, já que a gente fica tão perdido quanto os personagens; isso, no meu caso, aumentou o nível de imersão.

"A genialidade vem daquilo que é incomum."

em um dado momento da história vamos passar um tempo com o NDCM. a cada frase que a gente lê, o medo por esses caras só aumenta, o que passa uma verossimilhança incrível pra história! o fato d'a Kat estar em busca de respostas pro assassinato do pai dela, não ligando pra nada e passando por cima dos próprios valores, só mostra o quão preocupada ela está com isso tudo. cada interação da Kat com o NDCM é incrível e tensa.

"Será que a existe dor quando a gente não se lembra dela?"

esse foi o livro do Coben que mais mexeu comigo, que mais me fez refletir. com frases incríveis e sacadas geniais, Coben toca fundo no coração, nos fazendo refletir sobre aquilo que amamos. 

"Carências podem deformar as percepções."

"O coração tem razões que a própria razão desconhece."


NOTA: 4/5
E aí? Já leu ou está afim de ler? Comenta aí!
Abraços e boas leituras! \o/
Alec Costa

Sou viciado em cafeína, ouço cem vezes as mesmas músicas, sempre deixo queimar o pão de queijo e jogo a colher no lixo, ao invés do pote de iogurte. Ah, e sou sempre o primeiro a derramar refrigerante nas festas. twitter instagram youtube email external-link

1 Comentários

  1. Oi!!! Primeira vez que passo aqui no teu blog e posso dizer que foi uma visita agradável. Parabéns pelo trabalho. Eu comprei esse livro no lançamento porque achei o título incrível e inesperado para um livro desse estilo. Mas vc acredita que ele ficou parado na estante? Enfim, agora que li sua resenha, fiquei com vontade de ler.
    www.karolgoncalves.com

    ResponderExcluir
Postagem Anterior Próxima Postagem