Resenha - Coreografia de Danados [Whisner Fraga]


Oi, pessoal! Tudo bem? Hoje eu venho trazer pra vocês a resenha de mais um livro nacional: Coreografia de Danados do autor Whisner Fraga. Se você acompanha o nosso canal no YouTube ou o nosso site deve saber que ele estava na minha TBR da Open Your Mind. Antes de qualquer coisa, quero dizer pra vocês que é um livro super curtinho e que li em menos de duas horas (teria lido mais rápido se não fosse escravo da minha mãe ~brincadeira, gente. Te amo, mãe~).

Pra quem não sabe, uma antologia nada mais é do que um grupo de contos de vários autores (ou não) reunido em um só livro; nesse caso, obviamente, todos os contos são do Whisner.

O bom dessa antologia é que ela não tem “um tema específico”, o que já a torna, de certa forma, especial E original. A cada conto nós temos a oportunidade de conhecer um personagem diferente, por exemplo; Larissa, a garota de programa que também que é uma universitária; Tiziu, um homem negro traficante de drogas; Fábio, o cara que sofre preconceito por ser considerado homessexual; a família Bragança e Moreira, que tem mais problemas do que Panem. Em Coreografia de Danados, Whisner trata de assuntos do nosso cotidiano, e consegue, de uma maneira incrível, mostrar o lado do Brasil que a mídia normalmente oculta; através dessa antologia a gente consegue enxergar o mundo e as pessoas com outros olhos e viver suas experiências. Alguns personagens possuem um passado negro, cheio de horrores (“assim como a noite”, disse Melisandre), e, ao ouvir seus relatos, a gente se envolve na estória e sente suas dores; a gente sente pena de quem é pra sentir, e ódio dos que merecem ser odiados.

Posso dizer com toda a certeza do mundo que muitas frases dali eu vou levar pra vida e que, em muitos momentos, me peguei refletindo através das palavras ditas por um traficante de drogas, ou por uma garota de programa. Diferentemente de alguns best-sellers que encontramos por aí, não há adolescentes que nasceram para ser filósofos, mas sim pessoas maduras cujo passado lhe ensinou, da pior maneira possível, a viver.

Se você acompanha o meu Instagram pessoal, deve saber que sou super viciados em tags/post-its. Fui inventar de marcar esse livro e usei 16 post-its! Pode isso? Decidi compartilhar com vocês as minhas citações favoritas:

“Quem foi que disse que no desespero não há amor? Não, sinto em dizer, mas não funciona assim, árvore boa de vez em quando gera frutos estragados.”
“[...] mortos somos todos bons.”
“Os tempos mudam, as leis evoluem, as cabeças se abrem, as drogas se modificam, os pais continuam desconhecendo os filhos, os segredos se conservam e assim caminha a humanidade, a passos de caranguejo.”
Óbvio que existem mais umas 20 dezenas de citações que eu gostei nesse livro então se eu fosse colocar aqui, esse post ficaria gigante.

Dá uma olhada na diagramação desse livro! *-*
Obviamente eu gostei mais de um conto do que de outro. Os que eu mais gostei foram: Vila Pureza, Vila América, Prólogo de Infinitas Tragédias de Cinco Cantos (esse conto é incrível!), Caleidoscópio (outro conto sensacional) e Retalhos de um Arabesco.

Um livro simples, com linguagem e diagramação simples que vai te levar numa viagem incrível na mente das outras pessoas. Recomendo a todo leitor que estiver em busca de um bom livro pra refletir, rir em certos momentos ou só passar o tempo.

Até o fim dessa semana vou gravar uma resenha em vídeo sobre essa antologia. :D

Nota: 5/5
Nota para a escrita do autor: 5/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curtiu o post? Deixe seu comentário aqui embaixo, pra gente poder debater! \o/

Só comente algo relacionado ao post. Não desrespeitar ou insultar ninguém, caso contrário, o comentário será excluído.

Tem um blog? Comenta aí embaixo, pra que eu possa te fazer uma visita! :)

siga no Instagram

@umbookaholic